2005-01-21

Os dois lados do casaco

A verdade é que ainda não sei o que hei-de fazer destas eleições.

Por um lado (o de dentro), o Santana Lopes descredibiliza tudo e qualquer coisa que algum governo do PSD por ele encabeçado tenha feito, faça ou possa vir a fazer. Mesmo que seja tomada uma boa medida, ele há-de arranjar forma de meter os pés pelas mãos, embrulhar tudo e deixar-nos a pensar que voltou a fazer asneira. O afã de nomeações durante o pouco tempo de governo também não ajuda nada, bem pelo contrário.
Por outro lado (o de fora), o Sócrates insiste em fazer floreados de modo a dar a entender que diz alguma coisa quando abre a boca. Mas a verdade é que raramente diz seja o que for. E quando se descai e, sem querer, deixa escapar alguma coisa pela boca fora, ficamos todos (nós e ele) a desejar que se tivesse deixado estar calado.

Alternativas a isto não existem. Temos mais alguns partidos mais ou menos representativos, mas que falam com o à vontade de quem nunca terá que prestar contas pelas coisas que diz, ao contrário do PS e do PSD que não se podem dar a esse luxo, como se viu pelo encarniçamento do Sócrates contra, por exemplo, o fim dos benefícios fiscais. Depois foi o que se viu.

O PP vive de uma aura de competência, ou pelo menos falta de incompetência, durante o tempo em que integrou o governo. Digo isto porque, quando comparado com as trapalhadas que o PSD gerou, eles saíram bem na fotografia. Falta saber se foi por competência deles ou incompetência dos outros.
CDU e BE? Credo, cruzes, canhoto! Antes a morte que tal sorte!!!!!


Posto isto, pondero votar pela primeira vez no PP. Ou votar em branco, como já me aconteceu antes...


PS - O PS e o PSD parecem-me, neste momento, com um daqueles casacos que se viram do avesso e se pode continuar a usá-los. Dá a impressão de ser outro casaco, mas na verdade é o mesmo.